LIVROS

Texto retirado do prefácio do livro, por Marcos Paiva.

"Este livro é despretensioso. A qualidade dele, para mim, que o escreveu, é apenas de ajudar na discussão sobre o que é improvisação brasileira.

Dentro dos meus estudos no contrabaixo, desenvolvi (e continuo desenvolvendo) o estudo das linhas de contraponto no choro, conhecidas como baixarias, nos contrabaixos elétrico e acústico. O uso das baixarias possibilitou abrir uma nova área de estudo no contrabaixo brasileiro e novas possibilidades estéticas no uso das baixarias; todavia, nunca tive como objetivo colocar o contrabaixo no lugar do violão nas formações tradicionais do choro. E o estudo das frases de violão de sete cordas, do bombardino e do saxofone tenor de Pixinguinha, as baixarias, me conduziram a pensar em um estudo com frases de choro para uma improvisação idiomática na música brasileira ou em harmonias de qualquer tipo de música.

Em se tratando de improvisação, iremos caminhar na ideia de uma improvisação desconectada da melodia principal, ao contrário de um estilo interpretativo da melodia. Nesse sentido estético, estaremos mais pertos da ideia jazzística da improvisação, que de um estilo interpretativo da melodia, com ornamentações, inflexões, articulações, em que podemos caracterizar como flexibilidade rítmica (Sève, 2015).

Partindo dessa ideia musical, este método seguirá uma lógica simples com a sugestão de frases tiradas de choros clássicos em cadências tradicionais do estilo. Em seguida, será proposta uma maneira inteligente de se estudar essas frases e, por fim, ideias de encadeamentos dessas mesmas frases. Alinhado a isso, serão trazidos exemplos de tipos diferentes de cadências tradicionais do estilo e das articulações mais utilizadas.

Dito isso, seguimos em frente."

Capa_Marcos_Paiva FINAL ESCOLHIDA.jpg

 
 
 
Primeiro livro no Brasil sobre o uso do contrabaixo no Choro, este livro ensina os caminhos para a construção dos contrapontos no choro – as baixarias. Por meio das análises históricas e das adaptações escritas para este material, você poderá criar suas próprias linhas de uma maneira simples e inteligente.

O choro é hoje um bem cultural não somente brasileiro, mas mundial. O que penso, e escrevo neste livro, é que o contrabaixo pode assumir o papel do violão de 7 cordas, ou trabalhar junto com esse instrumento, na roda de choro. É também um exercício inventivo pensar nas possibilidades de formações musicais que ainda estão por vir. Claro que, para isso, é necessário conhecer o idioma do choro, seu repertório e seus personagens. Conhecendo a história desse gênero, que é riquíssima, podemos caminhar pelas infinitas “baixarias” em direção a uma linguagem de enorme valor estético e técnico. Convido você a colocar o seu contrabaixo na roda de choro! Recomendo, e digo mais: é muito divertido.

Livro O Contrabaixo na Roda de Choro por Marcos Paiva

DISPONÍVEL PARA COMPRA NAS VERSÕES FÍSICA E DIGITAL

Português

English